Populares e semelhantes São João local, o evento encanta turistas brasileiros
Publicidade


Por: DIÁRIO DA MANHÃ, Publicado em: segunda, 20 de maio de 2024

A celebração mais importante da cidade de Lisboa está chegando, proporcionando um mês inteiro de muita alegria, cor, música, dança, comidas e bebidas típicas e, claro, manjericos (considerada a erva dos apaixonados) espalhando amor por todo o lado.

Os arranjos florais da festa de Santo Antônio – Foto: Américo Simas

Os arranjos florais da festa de Santo Antônio – Foto: Américo Simas

São as tradicionais “Festas de Lisboa”, em junho, em homenagem a Santo Antônio, o padroeiro popular dos lisboetas. A festividade ocorre todos os anos reunindo multidões animadas que se divertem nos arraiais, nas marchas da noite de 12 de junho, na procissão e em tantas outras atrações em tributo ao Santo nascido na capital portuguesa.

Uma celebração que reúne arte, decoração, gastronomia, bebidas típicas e muita alegria – Foto: Armindo Ribeiro

Uma celebração que reúne arte, decoração, gastronomia, bebidas típicas e muita alegria – Foto: Armindo Ribeiro

Tão afamadas e, certamente, partilhando a origem da farra junina daqui, a comemoração é um convite irrecusável aos viajantes brasileiros. Classificada no ranking dos 50 melhores festivais europeu, as Festas contarão com dezenas de eventos de diferentes expressões artísticas, reunindo o público para uma recepção coletiva e multicultural, onde as ruas da cidade cosmopolita enchem-se de luzes coloridas, correntes de papel e guirlandas luxuosas, ao som de músicas típicas e ao cheiro inconfundível de caldos verdes, pimentões e sardinhas assadas preparados em fogareiros ali mesmo ao ar livre que, geralmente acompanhados de um bom vinho, abrem o apetite até de paladares mais exigentes.

Logradouros públicos dão espaço as danças do folclore português – Foto: Américo Simas

Logradouros públicos dão espaço as danças do folclore português – Foto: Américo Simas

Além da comida, os Arraiais são marcados pelas músicas populares e pelas ruas enfeitadas com elementos alusivos ao festejo, lotadas por uma multidão dançando e animando, em particular, os bairros históricos de Lisboa.

Outra tradição antiga, as Marchas Populares despertam a cultura pura de coletividade bairrista. Assim, todos os anos, na noite de 12 de junho, grupos de Alfama, Bica, Bairro Alto, Castelo e Mouraria desfilam na emblemática Avenida da Liberdade, competindo entre si pelo título de melhor marcha segundo a escolha do júri. Na ocasião, há ainda uma grande festa com arraiais e bailes estendendo-se até a madrugada, permitindo a troca entre as diferentes culturas e hábitos, bem como a reciprocidade entre o tradicional e o alternativo, a renovação e a inovação.

Uma celebração que reúne arte, decoração, gastronomia, bebidas típicas e muita alegria – Foto: Armindo Ribeiro

Uma celebração que reúne arte, decoração, gastronomia, bebidas típicas e muita alegria – Foto: Armindo Ribeiro

Igualmente concorrido é o “Arraial Lisboa Pride”, o maior acontecimento LGBTI de Portugal, onde a diversidade e a igualdade são mais que valorizadas. Não menos aguardado, é o “Noivas de Santo António”, uma cerimônia para a realização de inúmeros casamentos na Catedral Sé, passando pela Igreja de Santo António.

Arraiais e bailes tomados pelas manifestações que passam pelo tradicional Fado aos encontros artísticos, literários e teatrais – Foto: Américo Simas

Arraiais e bailes tomados pelas manifestações que passam pelo tradicional Fado aos encontros artísticos, literários e teatrais – Foto: Américo Simas

Com uma programação intensa, as festividades contam, ainda, com os famosos “Tronos de Santo António”, obras de arte efêmeras realizadas pelos moradores e por entidades sediadas nos bairros tradicionais, passando pelos “Fados no Castelo”, com vista única sobre a cidade e o Rio Tejo, além de inesperados encontros artísticos, literários, teatrais, cinematográficos, esportivos e científicos, promovendo a interação entre gêneros distintos, sem esquecer as tradições — características autênticas da capital anfitriã.

Texto: Lívia Aragão

Edição: Gutemberg Bogéa


Publicidade

Comentários

Os comentários abaixo não representam a opinião do Diario da Manhã; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Qual sua opinião?
Você precisa estar logado para comentar! Clique aqui para Login




Publicidade



Leia também


DM Impresso